Blog

SUCÇÃO OU GRAVIDADE…

Uma troca de óleo por sucção é bem mais rápida, levando em média 4 ou 5 minutos. Em contrapartida, o método traz algumas desvantagens em relação à troca por gravidade.
Como se sabe, é recomendado que o motor esteja quente no momento da troca, visto que o óleo fica menos viscoso e sai com mais facilidade. Quando o motor está frio, a troca por sucção tem ainda mais dificuldade que a por gravidade de eliminar todo o lubrificante velho. O óleo oxidado acaba, então, reduzindo a vida útil do óleo novo. O mesmo problema surge quando a sonda do aparelho de sucção não consegue atingir a parte mais funda de alguns motores.
Uma outra questão é o fato de o motor gerar micropartículas de metal que ficam no fundo do cárter, localizado na parte mais baixa do motor. Quando se escoa o óleo por baixo, essas micropartículas são eliminadas. Numa troca por sucção, há o risco de uma lâmina de óleo com partículas sólidas subsistir.
A troca por sucção pode, entretanto, ser útil em algumas situações, quando o bujão (parafuso que veda o cárter) ou o próprio cárter estão com algum problema, por exemplo. Quando executado corretamente e por profissionais treinados, esse método é seguro e não causa nenhum dano ao veículo.